O ex-presidente da Bolívia, Evo Morales, foi classificado pelo Governo interino do país como terrorista e agora tem seu nome na lista da Organização Internacional de Polícia Criminal, a Interpol. No caso, foi emitida a chamada “notificação azul” pela Interpol, significando que Estados membros devem contribuir com qualquer informação sobre paradeiro do investigado.

A Interpol é uma organização internacional que apoia na cooperação de polícias de diferentes países. Foi criada em Viena, na Áustria, no ano de 1923.Atualmente, sua sede está localizada em Lyon, na França, e tem a participação de 190 países membros.

Segundo Arturo Murillo, ministro do Interior, Morales deveria passar a vida na prisão por “terrorismo e sedição”.

O ministro pediu que a prisão de Evo Morales, ex-presidente da Bolívia – que estava há quase duas semanas exilado no México e foi visto em Cuba nos últimos dias – e também “colega de negócios” de Lula (ex-presidente do Brasil) e toda sua corja, seja perpétua.

Arturo Murillo acusou Morales – que já havia sido deposto por fraudes eleitorais – com gravações de áudio do ex-presidente que direcionam os bolivianos a “estrangular” economicamente as cidades bolivianas com bloqueios de estradas, o ministro disse ainda em entrevista ao jornal Guardian publicada no final de novembro  que “qualquer terrorista deve passar o resto de sua vida na prisão”.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui