Agência Câmara

 

Na última segunda-feira, dia 9, o deputado federal pelo Podemos, Marco Feliciano, foi expulso de seu partido até então por apoiar o presidente Bolsonaro.

A decisão foi confirmada pelo diretório do partido em São Paulo.

O deputado, que agora está sem partido, se manifestou sobre a decisão do podemos nas redes socias.

“Ser expulso de um partido por apoiar o presidente Bolsonaro é, para mim, motivo de orgulho. Mario Covas Neto [presidente estadual do Podemos] ficou com medo de eu ser candidato à prefeito de São Paulo e me expulsou, pois colocou o Podemos a reboque dos interesses de seu parente Bruno Covas [PSDB, prefeito de São Paulo]”, escreveu o parlamentar no Twitter.

O novo “ex-partido” de Feliciano citou aspectos da conduta “ética e moral” por parte do parlamentar para embasar a decisão de expulsá-lo, de acordo com um documento elaborado pelo Podemos.

De acordo com o documento, assinado por Covas Neto, Marco Feliciano não teve o “espírito partidário inerente e necessário” para permanecer com a sigla.

Além disso, o texto diz ainda que “Conselho de Ética e Disciplina opinou pela imposição da penalidade de expulsão”.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui