Foto: Marcos Corrêa/PR

A apreensão de cocaína pela Polícia Federal (PF) mais que dobrou entre janeiro de 2016 e novembro de 2019, passando de 39 toneladas para 98,4 toneladas, um acréscimo de quase 150% em menos de quatro anos.

O resultado, que não é definitivo, foi divulgado hoje (12) durante balanço das ações realizadas pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública ao longo deste ano.

Os dados apresentados pelo diretor-geral da PF, Maurício Valeixo, monstram que o volume da droga apreendido vem crescendo gradualmente ano após ano.

Em 2016, só a PF tirou de circulação 39 toneladas de cocaína. Em 2017, o volume atingiu 46 toneladas. Em 2018, pouco mais de 73 toneladas foram apreendidas.

Até o início de dezembro deste ano, o resultado já superava as 98,4 toneladas. A expectativa de Valeixo é que, até o fim do mês, o total supere as 100 toneladas.

“Isso demonstra acréscimo, em razão do perfil de trabalho que vem sendo desenvolvido pela unidade especializada no combate internacional ao tráfico de drogas”, afirmou o diretor-geral.

O resultado vai na contramão da apreensão de maconha pela Polícia Federal. Após um salto em 2017, quando foram confiscadas quase 326 toneladas da erva, o volume apreendido passou a cair: foram 251 toneladas em 2018 e 223 toneladas em 2019.

A queda pode ser explicada pelo maior número de pés de maconha localizados e destruídos por policiais federais, cerca de 3,4 mil toneladas.

O número,  segundo Valeixo, representa um recorde e supera a soma dos resultados registrados em 2017 (1,01 tonelada) e em 2018 (1,45 tonelada).

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) também registrou aumento de 26% na apreensão de cocaína durante os últimos 11 meses, em comparação ao total do ano passado, totalizando 23 toneladas apreendidas apenas nas rodovias federais.

Com informações, Agência Brasil. Via Conexão Política.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui